Óculos de sol falsificados podem causar danos irreversíveis à visão, alerta oftalmologista

Itens indispensáveis em dias ensolarados, os óculos de sol exercem uma função muito mais importante do que apenas dar um toque especial ao visual. Eles são responsáveis por proteger os olhos dos danos causados pela exposição ao sol. Mas, apesar dessa importante finalidade, muitas pessoas optam por adquirir peças falsificadas, que não possuem a proteção contra raios ultravioleta (UV) recomendada pelos especialistas.

De acordo com a médica oftalmologista Renata Vasconcelos, da Clínica de Olhos Massilon Vasconcelos, o barato pode sair caro. “O grande perigo de usar óculos de sol falsificados é o fato de eles tirarem a proteção natural dos olhos contra o excesso de luz. Quando exposta à claridade, a pupila, entrada natural de luz no olho, se fecha. Esse é um ajuste do organismo para controlar a entrada de luminosidade. Quando colocamos um filtro escuro na frente do olho, estamos inibindo esse mecanismo. Com isso, a pupila fica mais aberta do que o adequado para aquele ambiente, deixando o olho desprotegido. Assim, a luz entra em quantidade maior, ocasionando vários problemas na visão”, alerta.

 

Quando usados em longo prazo, os óculos de sol falsificados podem comprometer a saúde dos olhos. Entre as doenças oculares ocasionadas pela exposição excessiva ao sol sem a proteção adequada, há as agudas (ocasionadas por exposições isoladas), como a queimadura de retina, e as alterações crônicas (por exposição contínua), como o pterígio (crescimento de tecido conjuntival sobre a córnea), os tumores de pálpebra e de conjuntiva, o amadurecimento precoce de um dos tipos de catarata e a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI).

Se o paciente tiver alguma lesão de pele na pálpebra, precursora de câncer, a exposição contínua dessa lesão ao sol pode levar ao aparecimento do tumor de pele. “Além do protetor solar em creme ou gel, os óculos de sol também protegem a pálpebra. Isso justifica ainda mais a importância do uso do acessório, desde que ele tenha a proteção adequada contra os raios UV”, completa a oftalmologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *