Governador Camilo Santana saiu otimista da reunião que teve com o presidente Jair Bolsonaro

O governador Camilo Santana utilizou suas redes sociais para prestar contas com a população sobre a reunião por vídeo-conferência com o presidente Jair Bolsonaro; o vice-presidente Hamilton Mourão; governadores do Nordeste e ministros. Durante o encontro virtual, os governadores apresentaram pontos importantes para a continuidade do combate ao coronavírus na região.

“Esse primeiro momento é muito importante, o de abrir o diálogo com o Governo Federal, e como sempre falo, nesse momento temos de estar unificados para o enfrentamento a algo que tem afetado o mundo inteiro. Na reunião a pauta foi exclusivamente o combate ao coronavírus, e todos os nove governadores tiveram a oportunidade de se pronunciar, fazer suas colocações, e pontuar o cada um está fazendo em cada estado”.

Camilo informou também que esse tipo de reunião, dividida por regiões do Brasil junto ao governo federal, deverá ocorrer com uma certa frequência, e ressaltou que o Nordeste foi a primeira região a fazê-la. “Foram quase duas horas de reunião com dois eixos de discussão tratada na ocasião. Numa carta assinada pelos nove governadores do Nordeste, pontuamos algumas reivindicação para que o enfrentamento ao vírus se dê em duas linhas: na saúde, focando na reestruturação da saúde, e na economia, focando na necessidade de olhar para as pessoas, principalmente das famílias mais vulneráveis”, pontuou o governador.

Ainda na transmissão, o governador garantiu que o governo federal concordou e em atender a praticamente todos os pontos apresentados pelos governadores. “Entre as principais reivindicações está a transferência de recursos da saúde para estados e municípios pelos próximos quatro meses, além da necessidade do envio de insumos e equipamentos, como ressaltei na minha fala durante a reunião”, garantiu Camilo.

Sobre a recomposição do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), um valor repassado mensalmente pelo Governo Federal e que complementa a receita de estados e municípios, o governador informou que esse repasse será mantido. “Vamos sentir a queda na economia nesse período, contudo precisamos manter os nossos serviços essenciais funcionando, o custeio da saúde e da segurança, pagar nossos servidores. Temos uma previsão de um aumento muito significativo de gasto com a saúde pública nos próximos meses, e por isso o Governo Federal garantiu o repasse necessário do FPE e FPM para estados e municípios. Assim como o Congresso Nacional aprovou recursos adicionais para a área da saúde e combate ao coronavírus nos estados,” explicou.

“Também foi discutida a suspensão das dívidas que o nosso Estado tem com a União e com bancos públicos. A dívida que o Ceará tem com a União é pequena, mas temos também contas a pagar com o Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e BNDS, então haverá a suspensão desses valores pelos próximos quatro meses, prorrogáveis por até seis meses”, revelou o governador.

Ainda durante a reunião, o governador do Ceará fez uma proposta para que todos os decretos estaduais e municipais fossem padronizados, para haver uma confluência nas ações de cada local. “Minha sugestão é de que todos enviassem ao governo federal seus decretos, e com algumas observações, todos passassem a agir diante de um só decreto, e assim não seja afetada nenhuma atividade e serviço essencial no Brasil”, disse Camilo.

Governador lembrou também na live que o Hospital Leonardo Da Vinci já está funcionando e dispõe de 230 leitos, sendo 30 de UTI. Requisitado pelo Governo do Ceará para dar suporte a partir de confirmações da doença no estado, apenas casos confirmados da Covid-19 serão atendidos no hospital, que já recebeu os primeiros 11 pacientes, em estado mais grave. “Nossa equipe da Secretaria de Saúde, liderada pelo Dr. Cabeto, está empenhada em fazer o máximo pelo nosso povo, e garanto que não só ele, mas os demais membros do governo estão trabalhando 24 horas para salvar as vidas dos cearenses”, disse o governador.

Camilo também fez um apelo ao Governo Federal, no tocante as famílias mais vulneráveis no Nordeste. “Está no Nordeste a concentração da maior quantidade de famílias vulneráveis do Brasil, os mais pobres ficam no Norte e no Nordeste, e na ocasião levantei a possibilidade de como poderemos fortalecer políticas para garantir a sustentabilidade e a proteção dessas famílias. O Governo Federal se comprometeu a levantar as possibilidades junto às secretarias estaduais, mas deixei claro a importância de não apenas manter o Bolsa-Família, mas de ampliá-lo na Região, protegendo os mais vulneráveis e os mais pobres do país.”

 

“Saímos muito otimistas e nos colocamos à disposição para cooperar com o que for necessário. Esse é um momento de unidade no Brasil, precisamos superar questões políticas, partidárias, pessoais, ideológicas, e ter união com um único objetivo, para que todos os esforços sejam concentrados para que possamos superar esse problema do coronavírus aqui no Brasil”, finalizou Camilo Santana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *